Quais os principais motivos da dificuldade para perder peso? Confira

6 minutos para ler

Você está seguindo uma dieta alimentar e se exercitado regularmente, mas mesmo assim sofre com a dificuldade para perder peso? Muitas pessoas passam por essa situação e acabam desanimadas ao tentar emagrecer. Nessa situação, é fundamental descobrir qual é o problema que está impedindo seu emagrecimento.

São várias as razões que podem estar interferindo na perda de peso, compreendendo desde questões físicas até emocionais. Com o diagnóstico certo, você pode reverter esse quadro.

Quer descobrir qual é seu obstáculo para perder peso? Acompanhe, a seguir, quais os principais motivos para isso e como buscar ajuda!

Alterações hormonais

Os hormônios cumprem um papel essencial no processo de emagrecimento. Isso porque podem acontecer alterações hormonais que diminuem a queima calórica. Por conta disso, as pessoas obesas ou com dificuldades de emagrecer devem passar por avaliações médicas.

Por exemplo, o hipotireoidismo, que se caracteriza como a insuficiência da atividade fisiológica da tireoide, pode dificultar o emagrecimento. As mulheres que estão na menopausa também enfrentam problemas em relação à perda de peso. O estrógeno é um importante hormônio feminino que queima calorias, mas na menopausa a produção estrogênica é prejudicada, o que interfere negativamente no gasto energético.

Composição corporal

A maneira como a gordura está distribuída no seu corpo é um dos fatores que afeta a perda de peso. Há, por exemplo, pessoas que, apesar de terem exatamente o mesmo peso que outras, não conseguem emagrecer.

O que pode explicar essa circunstância é a proporção da massa gorda, já que quando a mesma está localizada no quadril e nas coxas, a tendência é que haja mais dificuldade para eliminá-la, uma vez que ela é mais resistente à quebra — processo chamado de lipólise.

Nesse contexto, os indivíduos que têm obesidade ginoide, mesmo que façam exercícios físicos e dietas alimentares, continuam sofrendo para perder peso do que aqueles que apresentam o padrão normal de gordura localizada, que geralmente é na região do abdômen.

Doença endócrina não diagnosticada

Muitas vezes, a dificuldade para emagrecer está ligada a alguma doença não diagnosticada. A síndrome dos ovários policísticos, por exemplo, que costuma atingir as mulheres jovens, desregula os hormônios e interfere no funcionamento adequado do pâncreas, aumentando a produção de insulina, que faz você sentir mais fome.

Quando isso acontece, você acaba exagerando na alimentação, deixando de seguir as indicações da sua dieta, logo não consegue eliminar a gordura indesejada.

Estresse e ansiedade

Sentir-se estressado e ansioso, seja por problemas no trabalho, seja na vida pessoal, é um dos principais vilões do emagrecimento. Afinal, quando a pessoa está tensa, seu organismo produz mais hormônios do estresse, como o cortisol e a adrenalina. Os níveis altos desses hormônios ‘’enganam’’ seu corpo, que interpreta a situação como se fosse um ataque exigindo mais energia, o que faz com que você sinta mais fome.

Para reverter esse quando, o ideal é reconsiderar a sua rotina para diminuir os picos de estresse e ansiedade. Recomenda-se praticar atividades para o relaxamento, como yoga e exercícios físicos.

Dormir mal

É comum que depois de uma noite maldormida os hormônios relacionados ao apetite ajam contra seu organismo. O aumento nos níveis de grelina, que é a substância que estimula o apetite e a redução na concentração de leptina, que é a substância que dá a sensação de saciedade, fazem com que você queira comer mais.

Sem falar que conforme as noites maldormidas forem se repetindo, o nível de cortisol também sobe, de modo a contribuir para o ganho de peso. Ao regular seu sono, é possível estabilizar o nível de energia e, assim, controlar melhor a fome.

Desidratação

Provavelmente, você já ouviu aquela história de que é só beber um copo de água para saber se você realmente estava como fome ou não: se a sensação de fome sumir é porque seu corpo só estava necessitando de líquidos. Em um quadro leve de desidratação pode acontecer essa confusão no hipotálamo, que é a parte do cérebro responsável por regular o apetite e a sede.

Consumir, pelo menos, dois litros de água por dia, ajuda a manter seu organismo hidratado, eliminando as toxinas acumuladas. Vale ressaltar que a água também gasta energia para ser absorvida, eliminando aproximadamente 200kcal para cada oito copos.

Exagerar nos treinos

Com o intuito de emagrecer rapidamente, há quem gaste mais tempo do que devia na academia. Porém, ao contrário do que muita gente pensa, esse não é o melhor caminho para perder o excesso de peso, pois realizar treinos acima da sua capacidade ventilatória ou cardiovascular ativa os hormônios poupadores de energia, comprometendo o emagrecimento.

Por isso, é imprescindível que o exercício seja prescrito conforme o limite de cada um. Para quem viveu muito tempo no sedentarismo, recomenda-se começar devagar, exercitando-se de 30 a 45 minutos por dia, de preferência três vezes por semana. Em conjunto com a alimentação saudável, essa prática faz com que você alcance o resultado esperado antecipadamente.

Como investigar a causa da dificuldade de emagrecimento?

A melhor forma de descobrir o que está barrando seu emagrecimento é com a ajuda de profissionais especializados. Nesse sentido, o mais apropriado é passar por uma consulta médica em uma clínica específica para o tratamento da obesidade, em que você fará exames laboratoriais capazes de indicar qual é a raiz do problema.

Com isso, pode-se tratar a desordem que está dificultando sua perda de peso, o que torna esse processo mais fácil, além de aumentar sua qualidade de vida.

Uma das melhores opções para quem está com dificuldade para perder peso é a Clínica da Obesidade, onde o paciente fica internado pelo período mínimo de 30 dias, recebendo o acompanhamento de uma equipe de saúde multidisciplinar voltada também para doenças associadas.

São disponibilizadas diversas especialidades, como clínicos, psiquiatras, endocrinologistas, educadores físicos, fisioterapeutas, psicólogos, entre outras. Ainda, há recursos estéticos, como tratamento de pele e drenagem linfática.

O tratamento é feito de forma natural. Os pacientes são integralmente hospedados na clínica em bangalôs, contando com restaurantes que oferecem pratos saudáveis, piscinas para atividades moderadas e academias ao ar livre que permitem o contato com a natureza. Ou seja, trata-se de uma estrutura completa para que você emagreça com saúde e segurança.

Quer esquecer a dificuldade para perder peso e saber mais sobre nossa assistência? Entre em contato com a Clínica da Obesidade e conheça todos os serviços e facilidades que oferecemos!

Posts relacionados

Deixe um comentário