Manutenção no tratamento da obesidade: entenda a importância

6 minutos para ler

Uma das maiores alegrias para alguém que faz tratamento da obesidade é perceber que atingiu seu objetivo de peso, e, portanto, que teve sucesso na luta pelo emagrecimento saudável.

No entanto, essa alegria deve trazer a consciência de que, a partir desse momento, começa uma nova fase do tratamento: a de manutenção no tratamento da obesidade, a fim de evitar que os quilos perdidos sejam recuperados.

Na fase de manutenção, todo o tratamento da obesidade é posto à prova, e o paciente deve se manter atento à alimentação saudável, prática de atividades físicas e monitoramento do peso. O acompanhamento médico e psicológico, nessa etapa, pode ser crucial para a manutenção dos bons resultados.

Hoje vamos entender a importância da manutenção no tratamento da obesidade além de conhecer histórias de pacientes e ex-pacientes da Clínica da Obesidade que estão tendo grande sucesso nessa etapa do processo. Vamos lá!

A fase de manutenção no tratamento da obesidade

A fase de manutenção é aquela em que, tendo conseguido completar seu processo de emagrecimento saudável, o paciente se dedica a manter o peso atingido. Essa dedicação visa evitar o chamado “efeito sanfona”: a recuperação do peso perdido, que traz graves consequências para a saúde.

O ganho de peso por parte de pessoas que venceram a obesidade é, infelizmente, mais comum do que se imagina. A maioria das pessoas recupera, parcial ou totalmente, o peso em até cinco anos após seu tratamento.

A fase de manutenção, desde que corretamente projetada e executada, ajuda a evitar um novo ganho de peso. Monitoramento do peso, alimentação balanceada, prática de exercícios físicos e acompanhamento médico e psicológico ajudam a manter hábitos e peso saudáveis para toda a vida.

O desafio de iniciar a fase de manutenção

Um grande desafio para quem vence a obesidade, principalmente após um regime de internação, é conseguir manter o peso por conta própria. “Vemos pessoas que acabaram de sair do tratamento já ganhando peso”, conta L.F., ex-paciente da Clínica da Obesidade. “Esse momento é crucial. A gente acha que vai ‘tirar umas férias’ do tratamento, mas aí é que mora o perigo”, alerta.

O ganho de peso logo após iniciar a fase de manutenção é comum, mas ter tranquilidade e persistir no tratamento é fundamental nesse momento. “Cheguei a engordar dez quilos e isso me deixou assustada, me deu desespero, raiva de mim”, relata L. F.. “Mas na hora relembrei os ensinamentos da psicóloga: não entrar em pânico, se perdoar e retomar de onde parei, sem dietas restritivas”.

A adoção de estratégias, desde o início, é essencial para ter sucesso na manutenção. Achar a periodicidade ideal para monitorar o peso, evitar exceções na dieta, estimular-se a fazer atividade física, são ideias para uma fase de manutenção tranquila e eficaz.

Relembrar de tudo o que passou pode ser uma estratégia importante para motivar o paciente a seguir o tratamento. É o caso de L. F., que mantém fotos de quando era obesa e chegou a fazer uma caneca comparando fotos de antes e depois. Seja qual for o método, achar meios de se motivar e manter a disciplina pode fazer toda a diferença.

Uma ferramenta positiva de apoio mútuo nessa etapa é a criação de grupos, como ocorre com ex-pacientes da Clínica da Obesidade. A participação em grupos leva-os a se ajudarem na continuidade de um estilo de vida saudável, além de criar e manter amizades para toda a vida.

A mudança de mentalidade no tratamento da obesidade

O sucesso tanto na perda de peso quanto na sua manutenção está ligado a uma mudança de perspectiva. É necessário entender que o tratamento não é apenas uma estratégia pontual de perda de peso, mas sim uma filosofia que deve guiar as pessoas por toda a vida.

Repensar a relação com a comida, fazer reeducação alimentar e rever o estilo de vida são desafios que precisam ser superados para ter êxito na fase de manutenção do tratamento.

“Quando eu entrei na clínica, tinha a cabeça fechada”, relembra L. F., “mas não tem como querer resultados novos fazendo sempre as mesmas coisas. A mudança de tudo começa na mente; se quem está dentro não mudar a filosofia, não vai conseguir do lado de fora”.

A manutenção na Clínica da Obesidade

Muitos pacientes da Clínica da Obesidade, após receberem alta do período de tratamento, retornam para avaliações periódicas. Participam, assim, de um acompanhamento importantíssimo para este período de manutenção.

É o caso de D. R., que ficou internado de fevereiro a setembro de 2016, perdendo 60 quilos, e, desde então, retorna à clínica para avaliações mensais. “Os profissionais te dão um ‘upgrade’, uma energia, te guiam para fazer o certo. Só tenho a agradecer”, relata ele.

A fase de manutenção na clínica avalia o paciente de forma multidisciplinar. Orientando-o para o caminho certo, do ponto de vista físico e psicológico, objetiva evitar o reganho de peso com o passar do tempo.

“Eu me mantenho magro, sadio, meu pensamento mudou depois da clínica”, conta D. R., que considera o acompanhamento fundamental para o sucesso. “Se eu não tivesse essa manutenção mensal, acho que eu teria voltado a engordar”.

A fase de manutenção no tratamento da obesidade faz parte dos serviços que a clínica disponibiliza aos pacientes. Para isso, criou um programa periódico de acompanhamento dos ex-internos, com diversas atividades. O objetivo é reforçar que tudo que foi ensinado durante o tratamento continue sendo feito pelo paciente após a sua alta.

Por isso, não perca tempo e cuide-se com quem tem mais de dez anos de experiência na área, tratando a obesidade sem cirurgia! A experiência dos pacientes fala por si: “Não é uma clínica, é um paraíso. Se todo mundo tivesse oportunidade de passar nesse lugar, seria uma maravilha”, finaliza D. R..

Posts relacionados

Deixe um comentário